Considere estes itens no próximo balanço sobre a sua vida

Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os ladrões minam e roubam; Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam nem roubam. Mateus 6:19-20

Chega um momento da vida em que a gente se pergunta: o que fiz até aqui? Talvez esta seja uma das perguntas mais inquietantes da famosa “crise dos 30”, período em que a gente não é nem tão jovem para arriscar, nem tão velho pra deixar de sonhar.

É interessante notar como a gente tende a fazer o balanço de nossos feitos considerando tão-somente aquilo que tem valor terreno. Colocamos na ponta do lápis os bens que a gente conquistou, como um apartamento, um carro, carimbos no passaporte. Nessa lista consideramos também nosso estado civil e se geramos filhos. Isso quando não olhamos para o lado e comparamos a nossa vida à dos outros, numa espécie de competição para saber quem “se saiu melhor” até aqui. Viagens missionárias, tempo dedicado a ajudar pessoas, ensino e intercessão se não forem pontuados por último, possivelmente serão ignorados.

Em Mateus 6:19-20 somos lembrados do que realmente importa quando o assunto são bens. Nesse trecho o autor ilustra de maneira clara a fragilidade daquilo que acumulamos por aqui, instigando-nos a repensar o valor que damos aos bens terrenos. Avançando com a orientação, nos chama para fazermos aquilo que é bom e que será considerado na eternidade.

E serás bem-aventurado; porque eles não têm com que to recompensar; mas recompensado te será na ressurreição dos justos. Lucas 14:14

Da próxima vez que for pensar no balanço da sua vida, não se entristeça com a quantidade de bens conquistados, perdidos ou não alcançados até aqui. Antes, pense na forma como tem colocado seus dons e talentos à disposição do reino. O investimento mais rentável para o cristão não está atrelado à bolsa de valores criada pelos homens, mas aos valores eternos dos céus. 

Share

Deixe uma resposta