Não pague o mal com mal | Uma confissão difícil de fazer

E disse a Davi: Mais justo és do que eu; pois tu me recompensaste com bem, e eu te recompensei com mal. 1 Samuel 24:17

*Por Sérgio Moura

Depois de causar tanto mal a Davi e persegui-lo com o intuito de de dar cabo de sua vida, o rei Saul se vê numa situação muito difícil: ele entra em uma caverna sem saber que Davi e seus homens estavam escondidos em seu interior.

Vulnerável, Saul facilmente poderia ser morto por Davi, mas este, apesar de incentivado por seus soldados, decidiu que não iria pagar o mal com mal e nem fazer justiça com as próprias mãos, matando o rei.

Davi, de maneira sorrateira e sem se deixar perceber pelo rei, se aproxima e apenas corta um pedaço do seu manto e, quando o rei saiu da caverna, Davi aparece e grita em alta voz: Senhor! Porque dá ouvidos àqueles que dizem que eu quero matá-lo? Davi ergue a mão e mostra ao rei o pedaço do manto que ele havia cortado e, com isso, deixa claro que se ele tivesse intenção de matá-lo poderia tê-lo feito.

Ao tomar ciência desse fato, Saul faz a declaração contida no verso acima e que, facilmente poderia ser dita de outra forma. Disse Saul: “você está certo e eu estou errado.”

Essa talvez seja a confissão mais difícil para nós, seres humanos fazermos! Como é difícil dizer aos cônjuges, aos filhos, aos pais, aos amigos, aos irmãos, aos pastores, às ovelhas… Você está certo e eu errado! Apesar de todo ciúme que sentia de Davi, Saul, naquele momento, foi tomado por um sentimento de arrependimento que o levou àquela magnífica confissão.

Olhando para essa narrativa, eu gostaria de destacar que as duas decisões, tanto a de Davi como a de Saul, são extremamente importantes se, de fato, queremos desenvolver bons relacionamentos. Temos que aprender que se queremos nos relacionar bem uns com os outros, em primeiro lugar, teremos que decidir nunca pagar o mal com mal ou fazer justiça com as próprias mãos e, em segundo lugar, teremos que aprender a admitir que às vezes as outras pessoas estão certas e nós errados.


*Sérgio Moura é pastor da Igreja Batista Esperança. Conteúdo originalmente publicado no boletim da IBE, ANO XXVII, nº37, 27 de agosto de 2017.

Share

Deixe uma resposta